Bye bye, incandescentes!

23/06/2014

Foi boa enquanto era somente ela, mas agora???

lampada chorando

Consumidores preferem as fluorescentes, que gastam menos eletricidade e iluminam mais.

No varejo, a venda será permitida até junho de 2015

As lâmpadas incandescentes acima de 60 watts só poderão ser fabricadas ou importadas até o final do mês e deixarão de ser vendidas no varejo até junho do ano que vem. O consumidor terá obrigatoriamente que substituir as que queimarem pelas fluorescentes, halógenas ou de led. A medida, tomada pelo governo federal, é para reduzir o consumo de energia no País.

Em média uma lâmpada fluorescente consome ¼ de corrente em comparação a uma lâmpada incandescente quer dizer, uma lâmpada compacta fluorescente de 25 Watts equivale a uma lâmpada incandescente de 100 Watts. Sem contar com a durabilidade da lâmpada fluorescente que é de aproximadamente 8 vezes.

Os índices mínimos de eficiência luminosa fixado pela Portaria Interministerial 1.007 dos Ministérios de Minas e Energia (MME), da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) e do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), publicada em 31 de dezembro de 2010, para fabricação, importação e comercialização das lâmpadas incandescentes de uso geral em território brasileiro. De acordo com a portaria, a conversão de energia elétrica em luz e calor tem valores diferentes conforme a tecnologia: lâmpadas incandescentes – 5% luz e 95% calor, fluorescentes compactas – 15% luz e 85% calor, e led – 30% luz e 70% calor.

As lâmpadas incandescentes de 60 w a 100 w deixaram de ser fabricadas e importadas em junho do ano passado e devem deixar de ser comercializadas no varejo também até o final deste mês. As com potência superior aos 100 w foram proibidas ainda antes, entre 2012 e 2013. Até junho do ano que vem serão permitida a fabricação e importação das lâmpadas incandescentes de até 40 w, e a venda no varejo irão até junho de 2016.

No comercio as lâmpadas incandescentes ainda tem o seu preço bem inferior em relação a fluorescente compacta, próximo de 80%. Mas a sua substituição é viável o investimento comparando as economias futuras. O ideal é consultar o catalogo ou o lojista qual é a cor mais ideal para cada ambiente.

Equipe: REDES ELÉTRICAS

lampada chorando 2ENTÃO… TCHAU!

 


POSIÇÃO DE DISJUNTOR

12/06/2014

LIGAÇÕES ESQUERDO DIREITO

 

Pela regra da vida, existe um começo e um fim. Através deste principio devemos também cumprir criteriosamente todos os outros existentes.

Falando em disjuntor, é um acessório de proteção termo magnético utilizado em circuitos elétricos que tem a finalidade de proteger os equipamentos e os condutores. Como todo equipamento elétrico de proteção e comutação tem a entrada e saída, quer dizer o condutor de entrada é ligado no terminal de entrada e a sua saída no terminal de saída.

Ao abrir os olhos nos deparamos com situações que não nos deixa em duvidas por saber o que é correto. Vejamos alguns exemplos que talvez não nos cause nenhum dano. Ex. Ninguém veste uma calça pela perna e sim pela cintura, ninguém calça um sapato pelo calcanhar e sim pelos dedos dos pés e por ai vai obedecendo aos princípios da natureza.

Ninguém faz uma ligação hidráulica com saída de agua por cima da caixa e a entrada por baixo.

Quando algum produto característico de manobra é lançado, com certeza passou por muitos procedimento e testes, isso comprova que existe um começo e um fim.

Resumindo, ninguém faz uma leitura de baixo para cima.

Porque nós ELETRICISTAS temos que ir ao contrario da natureza?

 ENTRADA

disjuntor schneider.jpg 3SAIDA

Nas distribuições horizontal de um quadro com barramentos bipolar ou tripolar, a alavanca dos disjuntores deverá estar voltada para o centro do barramento na posição de ligado, mas alguns “eletricistas” insistem em instalar os disjuntores na posição inversa.

O correto é os disjuntores do lado esquerdo do barramento ficam com a alavanca voltada para o lado direito quando ligado e os disjuntores do lado direito do barramento ficam com a alavanca dos disjuntores voltados para o lado esquerdo quando ligado.

Veja exemplos;

 

LIGAÇÃO ENTRADA VERTICAL SAIDA HORIZONTAL

cicuito disjuntor schneider.jpg 2

cicuito disjuntor schneider.jpg 1

Não fique sem direção, consultem sempre os fabricantes de  disjuntores e seus dispositivos específicos.

Equipe: REDES ELÉTRICAS

 

 


PORQUE CORES DIFERENTES DOS FIOS E CABOS CONDUTORES?

28/05/2014

TIPOS DE CABOS CORES

 

Prezados seguidores as duvidas são para serem esclarecidas.

Acredito que nesta ou em quaisquer matérias existam duvidas e o blog que é um meio de divulgação espontânea, tem como finalidade expor e esclarecer as duvidas quando necessário. Este assunto é um dos mais questionados e geram duvidas de muitos seguidores, o porquê das cores dos fios e cabos condutores de eletricidade.

Padrão de cores para os condutores elétricos – Baixa Tensão

Os fios e cabos possuem isolação colorida para identificar a função de cada condutor e também facilitar nos manuseios de manutenções futuras.

Para as instalações elétricas de baixa tensão, a NBR 5410 determina o padrão de cores que deve ser usado para os condutores elétricos.

Condutor Neutro

TIPOS DE CABOS NEUTRO

Para o neutro, deve ser usado condutor com isolação na cor azul claro (NBR 5410:2004 item 6.1.5.3.1).

Condutor de Proteção

TIPOS DE CABOS VERDE PE

Para o condutor de proteção (PE), popularmente conhecido como fio terra, deve ser usado condutor com isolação na dupla coloração verde ou verde e amarelo (NBR 5410:2004 item 6.1.5.3.2).

Condutor de Proteção Terra ou PEN

CABO TERRA VERDE AMARELO

 

Se o condutor tiver as duas funções: neutro e proteção, é chamado de “condutor PEN” e deverá ter isolação na cor azul-claro, com anilhas verde-amarelo nos pontos visíveis ou acessíveis (NBR 5410:2004 item 6.1.5.3.3).

Obs.: O condutor PEN só é permitido em alguns casos especiais estabelecidos pela NBR 5410:2004, conforme item 5.4.3.6 e o item 6.4.3.4.1.

Condutor Fase

TIPOS DE CABOS DE FASE

Para os condutores fase, usar as demais cores com exceção daquelas já utilizadas nos condutores: neutro, proteção e PEN.

NOTA: Por razões de segurança, não deve ser usada a cor de isolação exclusivamente amarela onde existir o risco de confusão com a dupla coloração verde-amarela, cores exclusivas do condutor de proteção.

 

Atenção:

Em muitas instalações elétricas, infelizmente o padrão oficial de cores não foi utilizado. Por isso, antes de fazer novas conexões, não confie somente na cor do fio, confirme antes a função de cada condutor. 

Dicas para confirmar a função dos condutores:

  • Consultar diagramas da instalação;
  • Medir com o multímetro a tensão presente em cada condutor;
  • Verificar na origem da instalação (quadro de distribuição) quais foram os condutores utilizados para cada função.

Equipe: REDES ELÉTRICAS


COMUNICADO REDES ELÉTRICAS

15/04/2014

O site REDES ELÉTRICAS foi elaborado para compartilhar
Através de seu idealizador, participantes e colaboradores informações relacionadas a Eletricidade sem a intenção de oferecer a comercialização de serviços ou produtos, exceto pelo criador desse que fará de forma legal e de direito.
Sendo assim, pedimos aos participantes se atentar aos conteúdos das informações postadas.

ATENÇÃO
OS PROFISSIONAIS CADASTRADOS NESSE LINK NÃO TEM QUALQUER VINCULO COM O FÓRUM QUE OS CREDENCIEM COMO CAPACITADOS A OFERECEREM QUAISQUER SERVIÇOS.  E, POR CONSEGUINTE, O FÓRUM NÃO SE RESPONSABILIZA PELA DECISÃO DO INTERESSADO DE CONTRATAR SERVIÇOS DE PESSOAS LISTADAS NESSE LINK, MESMO QUE ESSAS APAREÇAM EM EVENTUAIS DISCUSSÕES TÉCNICAS NESTE FÓRUM.
Colaborador: Dejalmir Vianna
Equipe: REDES ELÉTRICAS


Layout de Circuito de Distribuição Elétrica

22/11/2013

Executar instalações elétricas não é tarefa fácil como muitos acreditam ser ou pensam. Entre projeto e execução existem muitos itens a ser considerado. O projeto consiste em prever exatamente as necessidades que atenda satisfatoriamente o cliente, no decorrer da execução do projeto o ideal é compartilhar ideias com o proprietário do imóvel, indagando sobre as necessidades reais para contemplar os pontos de tomadas de uso gerais (TUGs), tomadas de uso específicos (TUEs) e iluminação. Isso tudo tem que ser previsto antes de quaisquer fundações de lajes, vigas e colunas. É muito comum ver edificações novas com fiações expostas ou com canaletas pelos cantos. Na instalação de eletrodutos (conduites) procure deixar uma reserva principalmente do quadro padrão até o quadro de distribuição interna. Utilize materiais de boa qualidade e procedência conhecida. Na execução das instalações elétricas, após ter o conhecimento das potencias dos equipamentos  que será utilizado na edificação, calcule os condutores e disjuntores para a proteção geral e para os circuitos individuais. A instalação do quadro de distribuição interna devera preferencialmente ser instalado em local protegido de umidades e de fácil acesso das pessoas.

A dica abaixo é somente um exemplo de uma instalação de quatro ambientes.

clique no desenho para ampliar o tamanho.

exemplo de projeto 03 11 13

Até a próxima

Claudio


Dicas práticas para economia de energia

19/11/2013

LÂMPADAS

Como economizar energia usando alternativas

Iluminação de ambientes

Cores e disposições de moveis em ambientes influenciam sua iluminação;

Manter paredes, janelas, pisos e forros regularmente limpos é fundamental a limpeza coopera com o rendimento da luz e a luz artificial não é tão necessária;

Preferencialmente use a luz natural abrindo janelas, cortinas e persianas;

Mantenha luminárias e lâmpadas limpas para o melhor rendimento;

Use luminárias preferencialmente com refletores espelhados para dobrar o rendimento de luz;Luminárias fluorescentes fechadas e globos com fechamento de acrílico reduz a luz em torno de 30%.Mantenha o controle de cargas dos circuitos não excedendo o limite do condutor;Use lâmpadas compactas, LEDs, e fluorescentes;Lâmpadas e luminárias embutidas no teto, sanca de gesso e etc.  reduz o nível de lux do ambiente;

Individualize os circuitos de iluminação instalando sensores de presença e setorizado por ambientes;

Instrua os familiares e empregados a desligarem as lâmpadas e aparelhos eletrônicos de ambientes não ocupados;

Instale lâmpadas mais eficientes de maior durabilidade sempre considerando o custo beneficio;

TIPOS DE LÂMPADAS

1-    Incandescentes: são lâmpadas consideradas “quentes”, atualmente as mais usadas em iluminação residencial. A sua eficiência luminosa é muito baixa, 12lm/W. seu custo é baixo e sua vida útil é de 1000 horas aproximadamente.

Em locais freqüentados por muitas pessoas, seu uso deve ser analisado principalmente se o ambiente for climatizado a carga térmica exige mais potencia do condensador do ar condicionado, conseqüentemente gastando mais.

2-    Fluorescentes: utilizadas em ambientes industriais, comerciais e residenciais essa é de muito pouca utilização, sua instalação sempre é voltada nas áreas de cozinha, de serviços e sanitários. Existe resistência do uso em salas corredores e quartos. Sua eficiência luminosa é cinco vezes maior que as incandescentes, superam 70 lm/W. é considerada “fria”.

3-     Fluorescentes Compactas: são lâmpadas fluorescentes com tubos em “U” simples, duplo o triplo em função da sua potencia ou ainda em forma circular com reator eletrônico incorporado à rosca o mesmo tipo das incandescentes “E27”, embora o custo é superior ao da lâmpada incandescente o seu retorno é recompensado na sua vida útil que é de aproximadamente de 10000 horas, consome 20% do consumo da incandescente.

4-    Mistas: combina uma incandescente e um tubo de descarga com alta pressão. Funciona com tensão d 220 volts, sem reator. Emite cerca de 25l/W. possui vida útil de cerca de 6000 horas. É uma alternativa para substituição de incandescente de alta potencia.

5-    Halógenas: com 25% a 40% de redução no consumo em relação às incandescentes, também permitem uma perfeita reprodução de cores. São compactas e portanto adequadas à montagem de vitrines e à decoração em geral. Sua vida útil é de 2000 horas.

6-    Dicróicas: são uns aperfeiçoamentos das lâmpadas halógenas por terem um refletor capaz de concentrar o facho luminoso e ao mesmo tempo mandar para trás parte do calor emitido. Tem vida útil de 3000 horas. Embora o vidro na face anterior seja opcional nos produtos oferecidos no mercado, ele é altamente recomendado no caso de a lâmpada ser colocada em locais de permanência de pessoas, caso contrário pode causar queimaduras semelhantes às queimaduras solares além de desbotar superfícies, como papéis carpetes e tecidos.

Que tipo de lâmpada é mais econômico?

As fluorescentes, vendidas no mercado nos formatos tubular, circular e compacta.

O tipo mais eficiente depende do ambiente que se deseja iluminar. Locais que precisam mais de luz,como cozinha, garagens e áreas de serviços, as tubulares são mais adequadas. Já  as compactas, também encontradas em tom amarelo, são indicadas para quartos e salas.

Um estudo realizado pelo Instituto de Defesa do Consumidor (IDEC) revelou que as lâmpadas fluorescentes chegam a ser 79% mais econômicas e produzem 70% menos calor que as incandescentes.

Claudio Pereira – Blog Redes Elétricas


Como conseguir economia de energia elétrica em sua casa

10/12/2012

As instalações elétricas mal feitas ou mal conservadas causam desperdícios de energia e deixam a conta de luz mais cara.

Um estudo realizado pela Universidade de São Paulo revela que até 2,5% são desperdiçados em uma instalação elétrica, principalmente em edificação acima de 20 anos de construção, quer dizer a energia passa pelo medidor e não é aproveitada em trabalho útil, é consumida pelo aquecimento de condutores e acessórios das instalações elétricas.

Para um consumo de 200 kWh por mês que equivale a R$74,00, o desperdício, em um ano, é de 60 kWh ou, em reais, R$ 22,20.

Como identificar esses problemas!
As verificações das instalações elétricas devem ser feitas por profissionais qualificados. O contato com a rede elétrica pode causar choques com risco de morte.

Devemos estar atento e verificar todos os itens e acessórios correspondentes às instalações elétricas da edificação. Condutores compatíveis com a corrente instalada, condutores aquecidos ou deformados, plugues de eletrodomésticos, encaixe das tomadas (orifício), tomadas com sinais de aquecimento, soquetes de lâmpadas com sinais de aquecimento, interruptores com mal contato (quando ligado faz ruído), quadros de luz sem proteção. Outros sinais claros de problemas são o acionamento de luz ao ligar uma, a outra estando acessa da um sinal de queda de tensão, choques em chuveiro, disjuntor desarmando, oscilações na luz, excesso de equipamentos em um único circuito, excedendo a corrente limitada ao condutor, instalações obsoletas e mal dimensionados.

Sugestão

Se a sua casa ou apartamento tem mais de 10 anos e nunca passou por reformas no sistema elétrico, certamente esta na hora de solicitar um profissional Eletricista para verificar todo o sistema elétrico e isso deve ser realizado a cada 5 anos.

De acordo com a NBR-5410 todas as instalações elétricas principalmente (tomadas de uso específicos (TUEs) e tomadas de uso gerais (TUGs) devem ter o condutor terra instalado para proteção contra choques elétricos.

Ex. de circuito com aquecimento na fase central do disjuntor

circuito foto com aquecimento

Foto extraída do site (www.grothec.com.br)

Claudio – HPTEL


Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 153 outros seguidores