Energia solar

13/01/2010

Previlegiado pela alta incidência de isolação em seu território e pelas reservas de quartzo para produção de silicio grau solar, usado nos painéis de captação, o Brasil tem condições de figurar em situação bastante confortável quando à geração energética até a metade deste século. Isso é o que sugere o Estudo Prospectivo para Energia Fotovoltaica, em andamento no Centro de Gestão e Estudos Estratágicos (CGEE).

O Brasil tem potencial para consolidar como uma das principais lideranças no setor de energia solar, alternativa de baixo impacto ambiental que deverá gerar milhões de empregos nos próximos anos.

Profissionais para o mercado de energias renováveis

Segundo organismos internacionais, o mundo precisará de 37 milhões de profissionais para atuar no setor de energia renovável até 2030. Para alcançar essa posição entre os lideres, o Brasil devrá seguir uma série de recomendações que estão sendo elaboradas ao longo desse estudo prospectivo.

A lista inclui modernizar laboratórios, integrar centros de referência e investir em desenvolvimento de tecnologia para obter energia solar fotovoltaica a baixo custo. Também precisará estabelecer um programa de distribuição de energia com sistemas que conectem casas, empresas, industrias e prédios públicos.

“Um dos objetivos do estudo é identificar as oportunidades e desafios para a participação brasileira no mercado doméstico e internacional de energia solar fotovoltaica”, afirma o assessor técnico do CGEE, Elyas Ferreira de Medeiros, coordenador do estudo.

De acordo com Medeiros, por intermédio desse trabalho será possível construir e recomendar ações estratégicas aos órgãos de governo, uniersidades e empresas, sempre articulados com a sociedade, para inserir o pais no segmento de energia fotovoltaica. As três fases do estudo, que incluem coleta de informações, produção de conhecimentos e formulação de estraégicas para o setor.

Benefícios do tamanho do sol

As vantagens da energia solar são muitas e os números, superlativos. Em um ano, a Terra recebe pelos raios solares o equivalente a 10.000 vezes o consumo mundial de energia no mesmo período. “No entanto, algumas barreiras ainda precisam ser vencidas para que sua ampla utilização seja viável”, pondera Fernado Rizzo, diretor do CGEE e supervisor do trabalho.

O Brasil, atual 10º colocado no ranking mundial de produção de energia, não precisa necessariamente melhorar sua posição nessa lista. “A maneira de enxergar o setor esta mudando”, afirma Rafael Shayani, consultor do estudo. “A tendência é valorizar aqueles que utilizam a energia da forma mais eficiente possível, com o mínimo de desperdício e também de maneira ecologicamente correta”, diz.

Primeiras recomendações

A eficiência faz parte das recomendações preliminares do Comitê de Coordenação do Estudo, integrado pelo CGEE e 21 parceiros, incluindo universidades, orgãos do governo, instituições e empresas ligadas ao setor energético. Entre essas recomendações, o grupo destaca também a necessidade de instituir politicas de desenvolvimento tecnológico, com investimentos em pesquisa sobre o silício grau solar e sistemas fotovoltaicos.

A primeira fase do trabalho já constatou a necessidade de fomentar o desenvolvimento de uma indústria nacional de equipamentos de sistemas produtivos com alta integração, além de incentivar a implantação de um programa de desenvolvimento industrial. O comitê recomenda, ainda, a formação de profissionais para instalar, operar e manter os sistemas fotovoltaicos.

Fonte: CGEE

Claudio – HPTEL


Economia de energia durante o verão é necessário!

06/01/2010

 

Férias, fim e inicio de ano e formam uma combinação ideal para perder o controle com os gastos de energia elétrica. É o período em que as crianças ficam em casa, assistem mais à televisão, usam computadores, jogos eletrônicos – quase sempre com ventilador ou ar-condicionado ligado – e o abre-e-fecha na porta da geladeira não para.  Associado a isso, tem o período de festas de fim de ano, com a visita de amigos e parentes e a tradicional iluminação decorativa. Para não sofrer surpresas com o valor da conta de luz no mês seguinte, é preciso usar a energia elétrica de maneira consciente.

Momento de atenção nesta hora, as “crianças” deixam tudo ou quase tudo ligado consumindo energia.

Dicas básicas que ajudam na redução e economia de energia elétrica.

  • Coloque o chuveiro na posição verão.
  • Desligue as luzes e equipamentos elétricos ao sair do ambiente.
  • Desligue a televisão antes de dormir.
  • Manter a geladeira em condições de uso, substituindo as borrachas das portas após 5 anos de uso, não colocar toalhas que bloqueiam as prateleiras, manter a porta aberta o mínimo possível.
  • Usar lâmpadas florescentes na cozinha, área de serviço, sanitários, garagens e pátios.
  • Não utilizar duplicadores de tomadas o famoso “T”.

Consumo com ar condicionado pode chegar a 1/3 da conta de energia

Para quem possui aparelhos de ar-condicionado em casa, é importante ficar atento. Os custos para manter a temperatura mais agradável podem chegar a 30% do valor da conta. Para minimizar os gastos com a refrigeração do ambiente, as concessionárias de energia elétrica recomenda alguns cuidados que podem fazer diferença.

Na hora de escolher o modelo do equipamento, dar preferência aos condicionadores de ar que possuem o selo PROCEL: eles consomem de 12% a 26% menos energia. É importante também fazer a manutenção periódica do eletrodoméstico, realizando a limpeza do filtro de ar. E, finalmente, o hábito de desligar o aparelho sempre que estiverem ausentes do ambiente refrigerado também contribui para reduzir o consumo.

Cozinha

A cozinha é um dos locais onde se concentram mais eletrodomésticos em uma residência. Pode ter geladeira, freezer, forno de microondas, lavadora de louças, tevê, forno elétrico, torradeira, liquidificador, cafeteira, mix, espremedor de frutas, sem contar à iluminação que precisa ser reforçada para se visualizar melhor os alimentos. Dentre os aparelhos, a geladeira é o que mais consome energia, ficando na segunda posição com relação à residência toda, contribuindo com 25% a 30% do valor da conta de luz.

A geladeira consome eletricidade para produzir frio e é mais eficiente quando usa menos energia para exercer sua função, característica diretamente ligada ao nível tecnológico empregado no produto. Uma geladeira ultrapassada, com cerca de quinze anos, consome em média 70 kWh/mês, enquanto geladeiras modernas chegam a utilizar apenas 30 kwh/mês (uma diferença de 40 kWh/mês).

A CPFL orienta para adoção de alguns cuidados que podem diminuir o consumo de energia na cozinha: Verificar a existência do selo de eficiência Inmetro/Procel na hora de comprar geladeiras e outros eletrodomésticos é o primeiro passo. “Os que levam a letra ‘A’ são os mais econômicos e eficientes do ponto de vista energético e ambiental. Esses equipamentos muitas vezes são mais caros, mas a economia mensal que eles proporcionam pode retornar a diferença de preços em pouco tempo”.

Veja na tabela o consumo médio de alguns equipamentos usados na cozinha:

Aparelhos Elétricos Potência Média/Watts Dias Estimados Uso/Mês Média Uso/Dia Consumo médio mensal (kWh)
Geladeira 2 portas 300 - - 80
Freezer 260 litros       43,9
Freezer 380 litros       57,0
Lava louças grande 2.500 30 1h 45
Lava louças compacta 1.500 30 1h 30
Fornos Elétricos 1.500 30 5 min. 3,75
Forno Microondas 1.200 30 20 min 12,0
Lâmpada Fluor.Compacta. 15W 15 30 5h 2,2
Lâmpada Incand. 60W 60 30 5h 9,0
Liquidificador 300 30 1 min 0,30
Cafeteiras 1.000 30 1h 30
Torneiras Elétricas 5.000 30 10 min 25

 

Não reclame! Desligue

Claudio – HPTEL


Muita luz, velocidade e menos choques!

04/01/2010

BLACKOUT

É isso que esperamos em 2010. No decorrer do ano 2009 passamos por varios Blackout na rede elétrica e ouvimos muitas promessas de responsáveis afirmando que chegou o momento de mudança e melhorias. Vamos aguardar e torcer para que isso não se repita.

Internete rapida via rede elétrica

Outro problema grave que enfrentamos neste ano de 2009 foi as deficiencias na comunicação via internete, grandes perdas aconteceram por causa disso, vamos esperar que a nova técnologia PLC (Power Line Communication) via rede elétrica venha melhorar o sistema e seja mais seguro.

Vamos torcer para que isso venha acontecer rapidamente, que não falte luz, que a velocidade da internet melhore e seu valor mensal seja justo devido a sua transmissão ser via rede elétrica.

Redes Elétricas deseja um feliz ano novo a todos.

Claudio – HPTEL


A energia dos ventos

21/12/2009

Num futuro próximo vai poder ter uma micro-turbina para gerar a sua própria energia. Atualmente já existem algumas soluções para edifícios residências.

A energia eólica é a energia proveniente do vento e que pode ser aproveitada para a produção de energia eléctrica. A energia do vento faz girar as pás de uma micro-turbina que por sua vez faz rodar um eixo. Este eixo põe em funcionamento o gerador, no qual os campos magnéticos convertem a energia rotacional em energia elétrica. Convém destacar que esta produção de energia elétrica é a uma escala reduzida.

As micro-turbinas eólicas devem ser instaladas de preferência em espaços abertos, desde que as condições sejam favoráveis á sua aplicação. Têm vindo a ser desenvolvidos equipamentos de menores dimensões, que podem ser colocadas no topo das habitações, evitando assim a perda de espaço útil.

Em suma, estes sistemas podem ser uma boa opção de investimento, podendo reduzir significativamente o consumo de electricidade.

Claudio – HPTEL


AUTOMAÇÃO

16/12/2009

Benefício ou Ilusão?

A automação doméstica e pequenas empresas não tem sido alvo de atração devido ao preço dos serviços e equipamentos e a falta de infra estrutura prévia nesses ambientes para receber a automação, mas por outro lado devemos considerar as suas facilidades  nos dias de hoje. Muitas pessoas ainda se sentem desconfortaveis quando se deparam com uma maquina fazendo as tarefas que elas fazem naturalmente no dia-a-dia. Há até quem pense que as maquinas tomarão seus lugares um dia. Ai é dificil não encontrar resistência à automação. Pense bem se nossos antepassados tivessem esses pensamentos e atitudes, como seria a industria hoje? teriamos carros, fogão, televisor, radio, emfim tudo aquilo que usamos hoje!  A automação é necessária talves tarde para nós mas para nossa geração futura vai ajudar  muito.

O QUE AUTOMATIZAR? 

Nos lares a automação pode começar pela irrigação de jardins, controle de iluminação, simulação de presença, controle de guarita e acionamento de portões entre outras possibilidades que variam com imaginação e as necessidades de cada um. Já nas empresas existem necessidades mais óbvias como o próprio controle de guarita, fazendo identificação de funcionários e marcação de entrada e saída vinculadas à folha de ponto. A contenção de gastos com energia elétrica mediante o desligamento de equipamentos como aparelhos de ar-condicionado e de luzes, que alguém tenha esquecido ligados durante a noite, por meio de sensores de presença pode ajudar a baixar significantemente a conta de energia elétrica. Outra opção atraente de automação é o controle de câmaras de vigilância.

IRRIGAÇÃO DE JARDINS 

A irrigação eficiente de jardins se pode obter mediante o uso de um dispositivo medidor de índice pluviométrico em dado período que enviará dados ao sistema de acionamento do mecanismo de irrigação. Relês ligados aos terminais da porta paralela manterão acionadas as torneiras ou bombas de irrigação enquanto suas bobinas forem energizadas. Cada qual poderá ser acionado independentemente. A quantidade de água, o horário e o tempo de irrigação podem ser devidamente controlados. Inclusive dados estatísticos podem ser armazenados nesse processo. Para tanto, são necessários sensores para medir o nível de água no recipiente do dispositivo medidor de índice pluviométrico num dado período. Trata-se de uma implementação simples, não muito precisa, pois sofre com as alterações de temperatura e pressão. Contudo, neste caso, não se trata de uso crítico e o dispositivo cumpre bem seu papel.

ILUMINAÇÃO

O horário de acendimento de lâmpadas pode ser controlado para evitar desperdício. Serve também para quem quer simular presença em casa quando viaja. O que poderá ser feito até pela Internet. Uma implementação simples pode controlar pelo menos dez chaves com o uso de relês ou transistores de potência de uso geral ligados à porta paralela. Sempre lembrando que é imprescindível o uso de resistores e diodos de proteção. Até mesmo o controle de luzes rítmicas do tipo das usadas em discotecas pode ser construído com esses componentes. Nesse último caso, será necessária alguma programação adicional que trate, inclusive, da conversação do software tocador de música com o controlador de automação.

CÂMARAS DE VIDEO

É comum se encontrar duas ou mais câmaras de vídeo estáticas na vigilância de salas, quintais, etc. Essas câmaras, por mais bem posicionadas que possam parecer, quase sempre deixam alguma parte do ambiente sem varredura. O uso de câmaras móveis, com plataforma multi-eixos pode se apresentar como uma solução mais atraente. Os custos não se elevam muito e elas podem ter o tempo de varredura e o movimento aleatórios ou, ainda, permitir a interação humana por controle manual no computador via teclado, mouse, joystick ou outro tipo de controle que o executor da automação possa vir a projetar. A partir de mecanismos reaproveitados de aparelhos de CD-ROM se pode criar uma plataforma controlável com pelo menos dois eixos para câmara de vídeo. Esta poderá ser operada por um programa simples no computador, mas também permite a interação humana a longa distância através de redes de computadores. Significa dizer que se pode controlar uma câmara dessas de qualquer parte do mundo pela Internet. Em uma aplicação mais simples, a câmara pode ser do tipo WebCam que, dependendo do modelo, custa apenas algumas dezenas de reais.

GUARITA

O sistema de controle de guarita pode ser feito com equipamentos já obsoletos como um PC 486. Este possui capacidade de sobra para armazenamento de marcações de funcionários, controle de acionamento de portão. Com um pouco mais de aperfeiçoamento e mediante o uso de um computador também obsoleto, porém com um pouco mais de capacidade, se pode até fotografar aqueles que não se identificarem como funcionários, ou seja, os visitantes. Isso seria relevante para a segurança da empresa e até para consultas estatísticas. As marcações de entrada e saída de funcionários podem estar diretamente vinculadas à folha de pagamento – está claro que aí se necessita de apoio profissional de programação.

Não esqueça todos os controles estão nas suas mãos…

Claudio – HPTEL


ELETRICIDADE INTELIGENTE

10/12/2009

A revolução digital vai mudar nossa forma de consumir, distribuir e produzir energia elétrica.

Redes elétricas mais inteligentes saem do papel e chegam até nós, não na velocidade da luz, mas vai chegar.

É fato que a cada dia mais equipamentos elétricos chegam às residenciais de milhares de pessoas em todo o mundo, poi a 50 anos as casas, em sua maioria, só abrigam uma geladeira, um radio e, em algumas exeções, uma TV ou um chuveiro eletrico. Hoje a situação é muito diferente, visto que além daqueles equipamentos, temos um computador, DVD, micro-ondas, cafeteira elétrica e mais um monte de gadgets.

Não é preciso pensar muito para saber que estamos caminhando para o caos energetico, como ocorreu em 1999 em nosso Pais. Alem disso, a necessidade de diminuir ou consumir com mais inteligenci os recursos do planeta está causando movimentação em diversos países.

De acordo com a IBM, 14,7 % do total da energia produzida no brasil é dissipada no processo de distribuição. Além disoo, o furto de energia (famoso “gato”) deve ser diminuido, mais precisão nas medições de consumo e funções adicionais como identificação de falhas à distância são algumas novidades desta nova rede. O que muda?

Como você sabe, o modelo de distribuição é dafasado, se a luz cair na sua casa é preciso ligar para a empresa de energia e pedir que eles venham até você para reparar a falha. Como a Smart Grid é uma rede inteligente, assim que a pane ocorrer, a empresa geradora sabe onde aconteceu a queda de energia e em poucos minutos pode mobilizar funcionários para realizarem o conserto. A comunicação de mão dupla entre sua casa e a operadora, sensores ao longo de toda a rede, controle e automatização doconsumo residencial são algumas das mudanças que ocorrerão.

Primeiro passo

O primeiro passo para chegar a toda esta maravilha do consumo enrgético precisa ser dado na sua casa. Isso mesmo, para que toda essa comunicação inteligente aconteça, seu medidor de energia precisa ser substituido. Há anos um medidor analógico é usado nas casas, desta forma um modelo digital precisa ser introduzido para que haja maior controle por parte de geradora de energia e do consumidor. Estes novos medidoresterão chips e se conectarão à internet para trasmitir dados.

O problema é que isso vai demorar um pouco para acontecer, pois de acordo com a ANEEL (Agência Nacional de Energia Elétrica) há, aproximadamente, 65 milhões de medidores analógicos no pais. A regulação dos modelos digitais ainda em saiu do papel, mas a previsão é que em no máximo dez anos todos os medidores sejam substituidos. Além da mudança de leitores, toda a infraestrutura de captação de dados provenientes destes aparelhos precisa ser criada ou aprimorada, pois sem isso não há como medir o consumo ou detectar problemas.

Medidor Digital e Analógico

Faixas de consumo

Em uma consulta pública realizada em 03 de Setembro de 2009, a ANEEL propôs uma nova forma de tarifação de energia. Assim como é feito nos serviços de telefonia, faixas de valores deferenciados serão criadas para fomentar o consumo de eletricidade fora dos horarios de picos. Com estas faixas, as empresas de energia podem cobrar mais pela eletricidade usada no horario comercial e menos durante a madrugada, por exemplo.

Com esta medida, busca-se a criação do habito do consumo consciente no consumidor e evitar panes ou blecautes. Entretanto, para este sistema funcionar, os medidores digitais precisam estar em operação para que seja possível fazer a diferenciação de valores e horários.

Cidade modelo
Há vários lugares onde as Smart Grids estão em testes. Um destes é a cidade de Boulder, no estado do Colorado (EUA), onde o consórcio Xcel Energy vem testando mecanismos para potencializar o uso de energia. Formas tradicionais e emergentes de produção de eletricidade estão sendo avaliadas em algumas residências para verificar a eficiência deste tipo de rede.

 Sustentabilidade

Além de inteligência, outra palavra que tem tudo a ver com Smart Grid: sustentabilidade. Isso porque, uma das novidades nesta nova rede de energia é o consumidor-produtor. A descentralização da produção de energia é uma das propostas das redes inteligentes, sendo assim, qualquer um pode produzir energia e armazenar ou vender o excedente. Muito se fala em energia eólica e solar e estas formas sustentáveis de produção podem estar na sua casa, contribuindo para que sua fatura de luz diminua.

Aparelhos conscientes
Com todas estas possibilidades a tendência é que até os eletrodomésticos se tornem mais inteligentes. Em breve será possível programar a máquina de lavar roupas para funcionar somente nos horários em que a energia é mais barata. Além disso, com a medição inteligente é possível saber quanto cada aparelho consome mensalmente, algo quase impossível hoje em dia.

Por meio de um site ou software, você pode acompanhar diariamente o gasto energético do seu video game ou da geladeira nova e saber com precisão, quanto vai custar a fatura de energia no fim do mês. Até os carros podem servir como provedores de energia, pois em momentos em que o custo por KW for mais alto, a energia armazenada nas baterias do veículo pode servir como fonte de eletricidade para sua casa.

 

Claudio – HPTEL


110 / 220 volts o que usar?

02/12/2009

 

O consumo dos equipamentos são os mesmos, se temos um equipamento bivolt, ou seja, funciona em 110 ou 220 podemos verificar que a corrente (Amperes) em 110 volts é o dobro da tensão 220 volts e consequentemente em 220 volts a corrente (Amperes) é a metade de 110 volts. Portanto a potencia do equipamento é igual tanto em 110 volts como em 220 volts. O valor para pagamento da conta é o mesmo devido ao sistema de cobrança da concessionária ser em (Kilowats/hora). 

PORQUE USAMOS CIRCUITOS 110 e 220 VOLTS? 

O custo para instalações em 220 volts sai menor devido aos preços de condutores de cobre, a bitola dos condutores para um equipamento em 110 volts é o dobro do que os condutores ligados em 220 volts. 

 Exemplo de circuito 220 e 110 volts 

 

  Qual a vantagem para isso? 

 

Somente o custo dos materiais (condutores) para instalação. Neste caso temos que avaliar a instalação cada ponto de equipamento e verificar suas distancias e quantidades e se é viavel a sua instalação em 110 ou 220 volts. Normalmente os circuitos de aquecedores, chuveiros, motores e outros equipamentos de potencia (wats) alta usam-se a tensão de 220 volts. 

Claudio- HPTEL 


Notícias da rede elétrica

30/11/2009

Resolução disciplina regras para ressarcimento

A Agencia nacional de energia elétrcia (ANEEL) informa que a resolução nº 61/2004 disciplina o ressarcimento de danos em equipamentos causados por perturbação no sistema elétrico. Pela norma, os consumidores conectadosembaixa tensão, como os residenciais, que porventura tenham tido aparelhos danificados pela interrupção do fornecimento de energia verificado na noite de 10/11/2009 devem procurar a distribuidora de energia em até 90 dias para solicitar o ressarcimento.

Após analisar o pedido, a distribuidora terá prazo de 45 dias corridos para ressarcir o consumidor, caso se verifique relação entre o dano e a perturbação do sistema. Dentro desse prazo, a concessionária tem até 10 dias para vistoriar o equipamento, até 15 dias, após a inspeção, para comunicar o resultado do pedido ao consumidor e mais 20 dias para efetuar o ressarcimento em dinheiro, conserto ou substituição do equipamento, se for o caso. Para eletrodomésticos usados na conservação de alimentos perecíveis, como geladeiras e freezers, a vistoria deve ocorrer em até um dia útil.

O consumidor poderá solicitar o procedimento por telefone, pela Internet (no site da empresa) ou pessoalmente nas agências de atendimento.  Caso a concessionária responda insatisfatoriamente ao pedido, o consumidor poderá recorrer à agência reguladora estadual conveniada ou, em último caso, à Ouvidoria da ANEEL, pelo telefone 167 ou pela página eletrônica da Agência (www.aneel.gov.br).

Claudio – HPTEL Elétrica e Informatica


ILUMINAÇÃO

27/11/2009

A ABNT também possui normas especificas para iluminação. Abaixo citamos algumas delas:

Podemos dizer que grande parte do  desenvolvimento da espécie humana foi dado pela conquista do fogo e da luz. Cada vez mais o homem vem desenvolvendo métodos de iluminação, tendo em vista:

É importante que fique claro que quando falamos sobre acidente em iluminação não estamos falando de uma lâmpada caindo sobre nossas cabeças estaremos mostrando conceitos de como iluminar adequadamente para que esta iluminação não venha causar danos ecônomicos ou danos humanos.

Como saber se a iluminação está boa?

Determinar a iluminação necessária a um ambiente significa estabelecer a intensidade e distribuição da radiação visível adequadas aos tipos de atividades e às características do local.

As conseqüências de uma iluminação inadequada são notadas:

Na segurança – implicando no aumento do número de acidentes;

Na produtividade – maior desperdício de material, pior qualidade do produto final;

No bem-estar – maior fadiga visual e geral, ambiente desagradável baixando o moral dos trabalhadores.

Existe uma série de fatores a serem considerados para que se tenha um local de trabalho adequadamente iluminado:

- tipo de lâmpada e de luminária;

- quantidade de luminárias;

- distribuição e localização das luminárias;

- manutenção e limpeza das luminárias;

- cores adequadas ao ambiente.

O que deve ser pensado para fazer um projeto de:

 Iluminação de Escritórios? (por exemplo)

Iluminar locais de trabalho exige conhecimento. Além de tornar o espaço agradável, uma iluminação apropriada precisa se empenhar em não prejudicar a visão de quem vai passar longos períodos no ambiente. Ao criar um projeto, o profissional responsável analisa o espaço, o pé direito, a idade dos usuários do ambiente e até a quantidade de horas que permanecem no local. A ABNT ( Associação Brasileira de Normas Técnicas) determina que o mínimo de claridade para um escritório seja de 500 lux.

As lâmpadas fluorescentes são a mais recomendada é de baixa irradiação de calor. A tonalidade amarela deixa o espaço mais agradável para a visão, pois não basta estar claro, é necessário haver conforto visual. 

Escolher uma boa luminária é outro fator que ajuda o projeto.

Temperatura de cor

Quando falamos em luz quente ou fria estamos nos referindo ao tom de cor que a lâmpada dá ao ambiente.

Vamos observar o sol.

Ao acordarmos o sol está mais vermelho, sua luz tem um tom mais quente.

A medida que o dia avança e nossas atividades aumentam, a luz do sol vai ficando mais fria.

No final da tarde quando pensamos em relaxar, a luz volta a ficar mais quente.

Perceberam? Luz mais quente maior aconchego e relaxamento, luz mais fria maior atividade, simples não é ?

Nas lâmpadas esta temperatura de cor é medida em graus Kelvin (Ok) e quanto maior for o número, mais fria é a cor da lâmpada.

Ex.: uma lâmpada de temperatura de cor de 2700oK tem tonalidade quente, uma de 7000oK tem tonalidade muito fria. ( Ideal para residências 2700K a 5000K).

Reprodução de Cores

A reprodução de cores de uma lâmpada é medida por uma escala chamada IRC (índice de Reprodução de Cores). Quanto mais próximo este índice for ao IRC 100 (dado à luz solar), mais fielmente as cores serão vistas na decoração.

Isto ocorre porque, na verdade, o que enxergamos é o reflexo da luz que ilumina os objetos.

Um exemplo claro disto é quando compramos uma roupa em uma loja e depois ao sairmos vestidos durante o dia, percebemos que a cor não era exatamente aquela.

Cálculo de Iluminação (método dos lúmens e dos pontos)

Iluminar um interior significa projetar e executar uma instalação de maneira que esta possa iluminar artificialmente ambiente. Em um projeto de iluminação deve-se levar em consideração fatores de extrema importância:

- Obter um nível de iluminamento adequado a utilização do ambiente que será iluminado.

- Escolher adequadamente as lâmpadas e luminárias que serão empregadas, levando-se em conta o fator de economia.

- Reproduzir as cores dos objetos e do ambiente corretamente.

- Obter uma distribuição de luz uniforme nos planos que serão iluminados.

- Não criar impressão de mal-estar e desconforto nas pessoas que irão utilizar o ambiente.

- Lembrar que a iluminação deve estar sempre em harmonia com o projeto global do ambiente.

Fonte: Philips/Osran

Claudio-HPTEL


Equipamentos para proteção

23/11/2009

Depois do apagão! a preocupação. O que usar para proteção de equipamentos, Filtros de Linha, Estabilizadores de tensão, No-Break e agora!

Porque alguns aparelhos queimam quando acontece o blacaute?

É comum na hora do blacaute a tensão oscilar sempre para baixo e depois subir acima de sua tensão estabelecida, nesta hora quando a tensão aumentam os equipamentos que tiver ligado esta vulneravel e queima, ou após o blacaute na volta da luz existe uma tensão superior a normalmente usada nos aparelhos ocorrendo a queima de aparelhos que estão plugados nas tomadas.

FILTRO DE LINHA

Qual a função do filtro de linha?

O filtro de linha surgiu após a chegada dos computadores que são dotados de CPU, Monitor, multi-midia externo, impressora, scaner e outros periféricos necessários ao uso da informatica. Onde houve a necesidade de ter uma fonte com varias tomadas para atender todos os pontos em um só local.

O filtro de linha protege os equipamentos?

O filtro de linha é uma régua de varias tomadas, o circuito interno é composto de bobinas em série e capacitores em paralelo que tem a função de eliminar ruidos e interferencias causadas na rede elétrica. Não tem elementos que possa proteger os equipamentos de queima ligados a ele.

ESTABILIZADOR DE TENSÃO

Estabilizadores de tensão evitam que os aparelhos queimem?

A função do estabilizador de tensão é manter o nivel e a qualidade da tensão necessária ao equipamento em funcionamento. O estabilizador de tensão poderá evitar a queima do aparelho se este estiver dotado de reguladores de entrada da tensão e controle de carga, isso protegera na hora do pico inicial.

NO-BREAK

No-break é usado em equipamentos de informatica, servidores, alarmes e outros que necessitam de energia elétrica para atuações de emergência. A sua função é manter os equipamentos em funcionamento não permitindo que este se desligue de imediato sua fonte de energia. É dotado de bateriais recarregaveis, no momento de transferência é transformada em corrente alternada, esse processo é feito e protegido através de sensores de tensão e corrente, dessa forma os equipamentos ligados nas suas tomadas são protegidos.

Claudio – HPTEL


Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 140 outros seguidores