Bye bye, incandescentes!

23/06/2014

Foi boa enquanto era somente ela, mas agora???

lampada chorando

Consumidores preferem as fluorescentes, que gastam menos eletricidade e iluminam mais.

No varejo, a venda será permitida até junho de 2015

As lâmpadas incandescentes acima de 60 watts só poderão ser fabricadas ou importadas até o final do mês e deixarão de ser vendidas no varejo até junho do ano que vem. O consumidor terá obrigatoriamente que substituir as que queimarem pelas fluorescentes, halógenas ou de led. A medida, tomada pelo governo federal, é para reduzir o consumo de energia no País.

Em média uma lâmpada fluorescente consome ¼ de corrente em comparação a uma lâmpada incandescente quer dizer, uma lâmpada compacta fluorescente de 25 Watts equivale a uma lâmpada incandescente de 100 Watts. Sem contar com a durabilidade da lâmpada fluorescente que é de aproximadamente 8 vezes.

Os índices mínimos de eficiência luminosa fixado pela Portaria Interministerial 1.007 dos Ministérios de Minas e Energia (MME), da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) e do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), publicada em 31 de dezembro de 2010, para fabricação, importação e comercialização das lâmpadas incandescentes de uso geral em território brasileiro. De acordo com a portaria, a conversão de energia elétrica em luz e calor tem valores diferentes conforme a tecnologia: lâmpadas incandescentes – 5% luz e 95% calor, fluorescentes compactas – 15% luz e 85% calor, e led – 30% luz e 70% calor.

As lâmpadas incandescentes de 60 w a 100 w deixaram de ser fabricadas e importadas em junho do ano passado e devem deixar de ser comercializadas no varejo também até o final deste mês. As com potência superior aos 100 w foram proibidas ainda antes, entre 2012 e 2013. Até junho do ano que vem serão permitida a fabricação e importação das lâmpadas incandescentes de até 40 w, e a venda no varejo irão até junho de 2016.

No comercio as lâmpadas incandescentes ainda tem o seu preço bem inferior em relação a fluorescente compacta, próximo de 80%. Mas a sua substituição é viável o investimento comparando as economias futuras. O ideal é consultar o catalogo ou o lojista qual é a cor mais ideal para cada ambiente.

Equipe: REDES ELÉTRICAS

lampada chorando 2ENTÃO… TCHAU!

 


POSIÇÃO DE DISJUNTOR

12/06/2014

LIGAÇÕES ESQUERDO DIREITO

 

Pela regra da vida, existe um começo e um fim. Através deste principio devemos também cumprir criteriosamente todos os outros existentes.

Falando em disjuntor, é um acessório de proteção termo magnético utilizado em circuitos elétricos que tem a finalidade de proteger os equipamentos e os condutores. Como todo equipamento elétrico de proteção e comutação tem a entrada e saída, quer dizer o condutor de entrada é ligado no terminal de entrada e a sua saída no terminal de saída.

Ao abrir os olhos nos deparamos com situações que não nos deixa em duvidas por saber o que é correto. Vejamos alguns exemplos que talvez não nos cause nenhum dano. Ex. Ninguém veste uma calça pela perna e sim pela cintura, ninguém calça um sapato pelo calcanhar e sim pelos dedos dos pés e por ai vai obedecendo aos princípios da natureza.

Ninguém faz uma ligação hidráulica com saída de agua por cima da caixa e a entrada por baixo.

Quando algum produto característico de manobra é lançado, com certeza passou por muitos procedimento e testes, isso comprova que existe um começo e um fim.

Resumindo, ninguém faz uma leitura de baixo para cima.

Porque nós ELETRICISTAS temos que ir ao contrario da natureza?

 ENTRADA

disjuntor schneider.jpg 3SAIDA

Nas distribuições horizontal de um quadro com barramentos bipolar ou tripolar, a alavanca dos disjuntores deverá estar voltada para o centro do barramento na posição de ligado, mas alguns “eletricistas” insistem em instalar os disjuntores na posição inversa.

O correto é os disjuntores do lado esquerdo do barramento ficam com a alavanca voltada para o lado direito quando ligado e os disjuntores do lado direito do barramento ficam com a alavanca dos disjuntores voltados para o lado esquerdo quando ligado.

Veja exemplos;

 

LIGAÇÃO ENTRADA VERTICAL SAIDA HORIZONTAL

cicuito disjuntor schneider.jpg 2

cicuito disjuntor schneider.jpg 1

Não fique sem direção, consultem sempre os fabricantes de  disjuntores e seus dispositivos específicos.

Equipe: REDES ELÉTRICAS

 

 


PORQUE CORES DIFERENTES DOS FIOS E CABOS CONDUTORES?

28/05/2014

TIPOS DE CABOS CORES

 

Prezados seguidores as duvidas são para serem esclarecidas.

Acredito que nesta ou em quaisquer matérias existam duvidas e o blog que é um meio de divulgação espontânea, tem como finalidade expor e esclarecer as duvidas quando necessário. Este assunto é um dos mais questionados e geram duvidas de muitos seguidores, o porquê das cores dos fios e cabos condutores de eletricidade.

Padrão de cores para os condutores elétricos – Baixa Tensão

Os fios e cabos possuem isolação colorida para identificar a função de cada condutor e também facilitar nos manuseios de manutenções futuras.

Para as instalações elétricas de baixa tensão, a NBR 5410 determina o padrão de cores que deve ser usado para os condutores elétricos.

Condutor Neutro

TIPOS DE CABOS NEUTRO

Para o neutro, deve ser usado condutor com isolação na cor azul claro (NBR 5410:2004 item 6.1.5.3.1).

Condutor de Proteção

TIPOS DE CABOS VERDE PE

Para o condutor de proteção (PE), popularmente conhecido como fio terra, deve ser usado condutor com isolação na dupla coloração verde ou verde e amarelo (NBR 5410:2004 item 6.1.5.3.2).

Condutor de Proteção Terra ou PEN

CABO TERRA VERDE AMARELO

 

Se o condutor tiver as duas funções: neutro e proteção, é chamado de “condutor PEN” e deverá ter isolação na cor azul-claro, com anilhas verde-amarelo nos pontos visíveis ou acessíveis (NBR 5410:2004 item 6.1.5.3.3).

Obs.: O condutor PEN só é permitido em alguns casos especiais estabelecidos pela NBR 5410:2004, conforme item 5.4.3.6 e o item 6.4.3.4.1.

Condutor Fase

TIPOS DE CABOS DE FASE

Para os condutores fase, usar as demais cores com exceção daquelas já utilizadas nos condutores: neutro, proteção e PEN.

NOTA: Por razões de segurança, não deve ser usada a cor de isolação exclusivamente amarela onde existir o risco de confusão com a dupla coloração verde-amarela, cores exclusivas do condutor de proteção.

 

Atenção:

Em muitas instalações elétricas, infelizmente o padrão oficial de cores não foi utilizado. Por isso, antes de fazer novas conexões, não confie somente na cor do fio, confirme antes a função de cada condutor. 

Dicas para confirmar a função dos condutores:

  • Consultar diagramas da instalação;
  • Medir com o multímetro a tensão presente em cada condutor;
  • Verificar na origem da instalação (quadro de distribuição) quais foram os condutores utilizados para cada função.

Equipe: REDES ELÉTRICAS


COMUNICADO REDES ELÉTRICAS

15/04/2014

O site REDES ELÉTRICAS foi elaborado para compartilhar
Através de seu idealizador, participantes e colaboradores informações relacionadas a Eletricidade sem a intenção de oferecer a comercialização de serviços ou produtos, exceto pelo criador desse que fará de forma legal e de direito.
Sendo assim, pedimos aos participantes se atentar aos conteúdos das informações postadas.

ATENÇÃO
OS PROFISSIONAIS CADASTRADOS NESSE LINK NÃO TEM QUALQUER VINCULO COM O FÓRUM QUE OS CREDENCIEM COMO CAPACITADOS A OFERECEREM QUAISQUER SERVIÇOS.  E, POR CONSEGUINTE, O FÓRUM NÃO SE RESPONSABILIZA PELA DECISÃO DO INTERESSADO DE CONTRATAR SERVIÇOS DE PESSOAS LISTADAS NESSE LINK, MESMO QUE ESSAS APAREÇAM EM EVENTUAIS DISCUSSÕES TÉCNICAS NESTE FÓRUM.
Colaborador: Dejalmir Vianna
Equipe: REDES ELÉTRICAS


Como evitar acidentes com eletricidade?

01/02/2011

FATALIDADE OU DESCUIDO? 

Cada vez mais os acidentes com eletricidade acontecem, e a maioria é com pessoas que trabalham na área. O que realmente esta acontecendo? é a pressa para produzir mais ou pressão superior? É de conhecimento que é comum alguns profissionais não aceitarem a idéia de ter que usar alguns equipamentos de segurança por terem alguns vícios antigos e confiar na experiência adquirida durante a sua vida, só que, os acidentes não acontecem quando queremos e sim quando estamos expostos ao perigo.

NORMAS FORAM FEITAS PARA SER CUMPRIDAS!

10.4 – SEGURANÇA NA CONSTRUÇÃO, MONTAGEM, OPERAÇÃO E MANUTENÇÃO

10.4.1 As instalações elétricas devem ser construídas, montadas, operadas, reformadas, ampliadas, reparadas e inspecionadas de forma a garantir a segurança e a saúde dos trabalhadores e dos usuários, e serem supervisionadas por profissional autorizado, conforme dispõe esta NR.

10.4.2 Nos trabalhos e nas atividades referidas devem ser adotadas medidas preventivas destinadas ao controle dos riscos adicionais, especialmente quanto a altura, confinamento, campos elétricos e magnéticos, explosividade, umidade, poeira, fauna e flora e outros agravantes, adotando-se a sinalização de segurança.

10.4.3 Nos locais de trabalho só podem ser utilizados equipamentos, dispositivos e ferramentas elétricas compatíveis com a instalação elétrica existente, preservando-se as características de proteção, respeitadas as recomendações do fabricante e as influências externas.

10.4.3.1 Os equipamentos, dispositivos e ferramentas que possuam isolamento elétrico devem estar adequados às tensões envolvidas, e serem inspecionados e testados de acordo com as regulamentações existentes ou recomendações dos fabricantes.

10.4.4 As instalações elétricas devem ser mantidas em condições seguras de funcionamento e seus sistemas de proteção devem ser inspecionados e controlados periodicamente, de acordo com as regulamentações existentes e definições de projetos.

10.4.4.1 Os locais de serviços elétricos, compartimentos e invólucros de equipamentos e instalações elétricas são exclusivos para essa finalidade, sendo expressamente proibido utilizá-los para armazenamento ou guarda de quaisquer objetos.

10.4.5 Para atividades em instalações elétricas deve ser garantida ao trabalhador iluminação adequada e uma posição de trabalho segura, de acordo com a NR 17 – Ergonomia, de forma a permitir que ele disponha dos membros superiores livres para a realização das tarefas.

10.4.6 Os ensaios e testes elétricos laboratoriais e de campo ou comissionamento de instalações elétricas devem atender à regulamentação estabelecida nos itens 10.6 e 10.7, e somente podem ser realizadas por trabalhadores que atendam às condições de qualificação, habilitação, capacitação e autorização estabelecidas nesta NR.

10.5 – SEGURANÇA EM INSTALAÇÕES ELÉTRICAS DESENERGIZADAS

10.5.1 Somente serão consideradas desenergizadas as instalações elétricas liberadas para trabalho, mediante os procedimentos apropriados, obedecidas a seqüência abaixo:

a) seccionamento;

b) impedimento de reenergização;

c) constatação da ausência de tensão;

d) instalação de aterramento temporário com equipotencialização dos condutores dos circuitos;

e) proteção dos elementos energizados existentes na zona controlada (Anexo I);

f) instalação da sinalização de impedimento de reenergização.

10.5.2 O estado de instalação desenergizada deve ser mantido até a autorização para reenergização, devendo ser reenergizada respeitando a seqüência de procedimentos abaixo:

a) retirada das ferramentas, utensílios e equipamentos;

b) retirada da zona controlada de todos os trabalhadores não envolvidos no processo de reenergização;

c) remoção do aterramento temporário, da equipotencialização e das proteções adicionais;

d) remoção da sinalização de impedimento de reenergização;

e) destravamento se houver, e religação dos dispositivos de seccionamento.

10.5.3 As medidas constantes das alíneas apresentadas nos itens 10.5.1 e 10.5.2 podem ser alteradas, substituídas, ampliadas ou eliminadas, em função das peculiaridades de cada situação, por profissional legalmente habilitado, autorizado e mediante justificativa técnica previamente formalizada, desde que seja mantido o mesmo nível de segurança originalmente preconizado.

10.5.4 Os serviços a serem executados em instalações elétricas desligadas, mas com possibilidade de energização, por qualquer meio ou razão, devem atender ao que estabelece o disposto no item 10.6.

10.6 – SEGURANÇA EM INSTALAÇÕES ELÉTRICAS ENERGIZADAS

10.6.1 As intervenções em instalações elétricas com tensão igual ou superior a 50 Volts em corrente alternada ou superior a 120 Volts em corrente contínua somente podem ser realizadas por trabalhadores que atendam ao que estabelece o item 10.8 desta Norma.

10.6.1.1 Os trabalhadores de que trata o item anterior devem receber treinamento de segurança para trabalhos com instalações elétricas energizadas, com currículo mínimo, carga horária e demais determinações estabelecidas no

Anexo II desta NR.

10.6.1.2 As operações elementares como ligar e desligar circuitos elétricos, realizadas em baixa tensão, com materiais e equipamentos elétricos em perfeito estado de conservação, adequados para operação, podem ser realizadas por qualquer pessoa não advertida.

10.6.2 Os trabalhos que exigem o ingresso na zona controlada devem ser realizados mediante procedimentos específicos respeitando as distâncias previstas no Anexo I.

10.6.3 Os serviços em instalações energizadas, ou em suas proximidades devem ser suspensos de imediato na iminência de ocorrência que possa colocar os trabalhadores em perigo.

10.6.4 Sempre que inovações tecnológicas forem implementadas ou para a entrada em operações de novas instalações ou equipamentos elétricos devem ser previamente elaboradas análises de risco, desenvolvidas com circuitos desenergizados, e respectivos procedimentos de trabalho.

10.6.5 O responsável pela execução do serviço deve suspender as atividades quando verificar situação ou condição de risco não prevista, cuja eliminação ou neutralização imediata não seja possível.

10.7 – TRABALHOS ENVOLVENDO ALTA TENSÃO (AT)

10.7.1 Os trabalhadores que intervenham em instalações elétricas energizadas com alta tensão, que exerçam suas atividades dentro dos limites estabelecidos como zonas controladas e de risco, conforme Anexo I, devem atender ao disposto no item 10.8 desta NR.

10.7.2 Os trabalhadores de que trata o item 10.7.1 devem receber treinamento de segurança, específico em segurança no Sistema Elétrico de Potência (SEP) e em suas proximidades, com currículo mínimo, carga horária e demais determinações estabelecidas no Anexo II desta NR.

10.7.3 Os serviços em instalações elétricas energizadas em AT, bem como aqueles executados no Sistema Elétrico de Potência – SEP, não podem ser realizados individualmente.

10.7.4 Todo trabalho em instalações elétricas energizadas em AT, bem como aquelas que interajam com o SEP, somente pode ser realizada mediante ordem de serviço específica para data e local, assinada por superior responsável pela área.

10.7.5 Antes de iniciar trabalhos em circuitos energizados em AT, o superior imediato e a equipe, responsáveis pela execução do serviço, devem realizar uma avaliação prévia, estudar e planejar as atividades e ações a serem desenvolvidas de forma a atender os princípios técnicos básicos e as melhores técnicas de segurança em eletricidade aplicáveis ao serviço.

10.7.6 Os serviços em instalações elétricas energizadas em AT somente podem ser realizados quando houver procedimentos específicos, detalhados e assinados por profissional autorizado.

10.7.7 A intervenção em instalações elétricas energizadas em AT dentro dos limites estabelecidos como zona de risco, conforme Anexo I desta NR, somente pode ser realizada mediante a desativação, também conhecida como bloqueio, dos conjuntos e dispositivos de religamento automático do circuito, sistema ou equipamento.

10.7.7.1 Os equipamentos e dispositivos desativados devem ser sinalizados com identificação da condição de desativação, conforme procedimento de trabalho específico padronizado.

10.7.8 Os equipamentos, ferramentas e dispositivos isolantes ou equipados com materiais isolantes, destinados ao trabalho em alta tensão, devem ser submetidos a testes elétricos ou ensaios de laboratório periódicos, obedecendo se as especificações do fabricante, os procedimentos da empresa e na ausência desses, anualmente.

10.7.9 Todo trabalhador em instalações elétricas energizadas em AT, bem como aqueles envolvidos em atividades no SEP devem dispor de equipamento que permita a comunicação permanente com os demais membros da equipe ou com o centro de operação durante a realização do serviço.

ATENÇÃO PESSOAL DA ELÉTRICA! FIQUE ATENTO AS NORMAS E CUMPRA A NR-10.

O que são zonas controladas e zonas de risco

 

AOS COLEGAS ELETRICISTAS

HOJE E SEMPRE

USO OBRIGATÓRIO DE EQUIPAMENTOS DE SEGURANÇA

Claudio – HPTEL


Calcule para seus projetos

11/01/2011

Estima-se que a maioria das construções do Pais principalmente aquelas construídas pelo sistema de mutirão, sempre acontece alguma falha de execução, não por descaso mas pelo fato de ser na maioria das vezes executados por amadores ou pessoas sem conhecimento técnico que no momento de colaboração deixa de cumprir com algumas normas, isso ocorre principalmente na parte elétrica que na compra dos materiais são sempre considerados “caros” preços elevados e acaba optando por similares ou mais baratos. Essas construções devido ao sistema de mutirão são levantadas “construídas”, de forma rápida para que se tenha o melhor aproveitamento da mão-de-obra.

O ideal neste caso é procurar um especialista para dar assessoria, para preparar à infraestrutura prevendo todas as necessidades de instalação, elétrica, telefone, internet, água quente/fria, esgoto e reaproveitamento de água e etc. quando não for possível o profissional responsável pela execução da obra devera auxiliar o seu cliente e dar todas as informações sobre as instalações sugerindo até a preparação para as instalações futuras como automação “casa inteligente” prevendo passagens de eletrodutos e pontos de redundância principalmente aqueles que serão embutidos em Lages e alvenaria.

O ideal é seguir alguns passos para que as instalações aconteçam de maneira segura;

1-      Preparação do projeto completo (procure se inteirar das novidades e equipamentos que trarão a você e seus familiares maior segurança, conforto e economia) na aquisição de materiais e acessórios.

2-    Prever pontos de tomadas elétricas, telefone, interruptores, internet, água fria/quente (com as mudanças de tecnologia, é interessante redundância de pontos).

3-      Estudo dos locais onde serão instaladas as tomadas de uso específico (TUEs) e tomadas de uso geral (TUGs), (utilize as tomadas especificas principalmente nas tomadas (TUEs) que tem as suas conexões maiores 4,8 mm de diâmetro suportando até 20 Amperes enquanto a (TUGs) tem 4,0 mm suporta até 10 Amperes.

4-      Pontos de luminárias internas e externas, inclusive pontos de sensores e campainhas.

5-      Prever quadro de distribuição interna, considerando 1 disjuntor geral, um DR e disjuntores para cada circuito independente preferencialmente sistema (DIN) devido a sua eficácia na atuação de proteção.

6-      Calcule a bitola de cabos e fios deixando uma margem de segurança para cada circuito prevendo futuras ampliações.

7-      Prever necessidade atual e futura, como eletrodutos para segurança e automação, deixando pontos próximos a batentes de portas e janelas essa infra estrutura é individual devido a interferência que a corrente alternada afeta acessórios de CFTV e dados.

8-      No final dos cálculos considere que a demanda para o dia é de 30% e para a noite é de 15%, ou seja se você tem uma carga total de 5000 watts durante o dia será de 3500 watts e a noite será de 4250 watts.

Claudio


Os números de 2010

03/01/2011

Os duendes das estatísticas do WordPress.com analisaram o desempenho deste blog em 2010 e apresentam-lhe aqui um resumo de alto nível da saúde do seu blog:

Healthy blog!

O Blog-Health-o-Meter™ indica: Uau.

Números apetitosos

Imagem de destaque

Cerca de 3 milhões de pessoas visitam o Taj Mahal todos os anos. Este blog foi visitado cerca de 31,000 vezes em 2010. Se este blog fosse o Taj Mahal, eram precisos 4 dias para que essas pessoas o visitassem.

Em 2010, escreveu 32 novo artigo, aumentando o arquivo total do seu blog para 66 artigos. Fez upload de 64 imagens, ocupando um total de 1mb. Isso equivale a cerca de 1 imagens por semana.

The busiest day of the year was 29 de novembro with 267 views. The most popular post that day was CALCULAR OS CIRCUITOS ELÉTRICOS.

De onde vieram?

Os sites que mais tráfego lhe enviaram em 2010 foram google.com.br, pt-br.wordpress.com, search.conduit.com, redeseletricas.com.br e search.babylon.com

Alguns visitantes vieram dos motores de busca, sobretudo por disjuntor, automação residencial, casa inteligente, planta baixa eletrica e instalação de disjuntores

Atracções em 2010

Estes são os artigos e páginas mais visitados em 2010.

1

CALCULAR OS CIRCUITOS ELÉTRICOS setembro, 2010
14 comentários

2

CABOS E FIOS agosto, 2009
1 comentário

3

Disjuntores agosto, 2009
1 comentário

4

O mito da Garrafa pet ao lado do medidor de energia julho, 2009
1 comentário

5

CABO DE PAR TRANÇADO agosto, 2009

Claudio